fbpx
Tráfego pago: tudo o que você precisa saber

Falar sobre tráfego pago na internet é um assunto bem casca grossa. Isso porque muitas pessoas começam seus negócios digitais acreditando que com praticamente nenhum investimento vão alcançar seus objetivos. E também porque existe um receio (justificável) de jogar dinheiro fora.

Vamos entender nesse artigo o que é tráfego pago e como montar uma estratégia que faça sentido para o seu objetivo.

O que é tráfego pago

O tráfego é o público que visita uma página, um site ou uma loja virtual. O tráfego pago é todo aquele visitante que chega ali por meio de um anúncio publicitário.

Por mais que pareça óbvio, muitas vezes vemos acontecer de um site ser lançado e não receber simplesmente nenhum visitante, além daqueles diretamente ligados ao projeto. E dos parentes e amigos.

É mais ou menos como montar um evento, não divulgar e ficar com o auditório vazio no momento em que ele acontecer. Isso acontece por uma boa razão. O tráfego orgânico, aquele que conseguimos como resultado das ferramentas de buscas, como Google, Yahoo, Bing ou DuckDuckGo (só para citar algumas) não vem do dia para a noite. Para esse tipo de tráfego é que montamos uma estratégia de SEO (Search Engine Optimization). E esse tipo de estratégia leva tempo.

É uma questão fácil de entender. No momento em que escrevi esse artigo, já existiam mais de 1.7 bilhão de sites no mundo. Indexar e achar todo mundo não é uma tarefa fácil. E muito menos aparecer do dia para a noite simplesmente colocando uma página no ar.

Aí é que entra o tráfego pago. No momento em que você colocar seu site, loja virtual ou página no ar, você pode levar tráfego imediato até seu site ou loja. Para isso, existem diversas plataformas, onde as mais conhecidas são o Google Ads e o Facebook Ads.

SEO e SEM

Outra confusão na cabeça das pessoas acontece quando falamos sobre o Google. E aí entram definições como SEO e SEM (Search Engine Marketing) e a salada está pronta. Para ser bem direto, SEO está ligado a ajustes técnicos e de conteúdo, estratégias de atração para as ferramentas de busca. Ou seja, otimizações e melhorias para que as ferramentas encontrem o conteúdo das páginas, da melhor forma, o que melhoraria o ranqueamento do site.

O SEO é importante, tanto para o tráfego orgânico quanto para o tráfego pago. Mas qual a diferença? O orgânico é um tráfego que vem das ferramentas de buscas, sem ser via anúncios pagos. Mas o orgânico, embora de cara pareça que não, também acaba tendo um custo: tempo, dedicação e as técnicas de SEO.

E o SEM é tudo aquilo que envolve estratégia de ferramentas de busca, tanto orgânico quanto pago. Portanto, o tráfego pago pode fazer parte de uma estratégia de SEM, se estivermos falando de links patrocinados.

Resumindo: tráfego orgânico é todo aquele que chega sem cliques em anúncios e tráfego pago é todo aquele que é originado de anúncios direcionados para as páginas do site.

Por que investir em tráfego pago

O tráfego orgânico, sem dúvida nenhuma, costuma ser muito mais qualificado. E duradouro. Mas leva tempo e muito estudo. A parte técnica é fundamental. Mas é uma Maratona.

O tráfego pago não exige tanto da parte técnica, embora tenha muitos detalhes envolvidos. Mas pode gerar resultados imediatos. Embora tenha uma taxa de dispersão, uma campanha bem feita pode trazer muitos resultados. Eu diria que é uma corrida de 100m rasos.

Como funciona o tráfego pago

Existem, basicamente, duas formas de trabalhar o tráfego pago: por CPC (custo por clique) e por CPM (custo por mil impressões). Geralmente, as plataformas trabalham por bidding (lances), mas existem algumas diferenças entre cada uma dessas formas:

  • No CPC, você paga pelo clique no seu anúncio. É um modelo bacana para quem quiser controlar seus investimentos e saber exatamente quanto de tráfego irá levar ao site. É o formato mais conhecido para quem trabalha com Google Ads, os famosos links patrocinados.
  • No CPM, o foco é na quantidade de impressões, o número de vezes que as pessoas visualizam o anúncio. A cobrança é feita por cada mil impressões, independentemente das pessoas clicarem ou não no anúncio.

Não existe um modelo melhor que o outro. Tudo dependerá do objetivo da campanha, do seu negócio e do quanto você está disposto a investir.

Plataformas de tráfego pago

Existem várias plataformas para anunciar e levar tráfego pago ao seu site, página ou loja virtual. Você poderá, inclusive, trabalhar com diversas fontes diferentes. Um dos pontos principais para se observar estão ligados ao seu público-alvo e também com a quantidade de informações que você receberá das plataformas.

Com o crescimento da mídia programática, as informações tem se tornado cada vez mais ricas e precisas. Assim, você pode segmentar ao máximo suas campanhas, o que fará com que a qualidade do tráfego recebido seja a melhor possível.

As plataformas de mídia programática permitem programar campanhas em diversas fontes diferentes, tanto nos formatos de CPC e CPM, incluindo fontes como Google Ads e Facebook Ads.

Outras fontes importantes de tráfego pago incluem LinkedIn Ads (que trabalha com B2B), Youtube Ads, Twitter Ads, Bing Ads, Instagram Ads (que faz parte da plataforma do Facebook Ads) e Youtube Ads. Mas qualquer site pode ter um espaço publicitário disponível, o que faz com que as chamadas Redes de Display ganhem também um importante espaço.

É importante ter em mente que diversos fatores influenciam no seu tráfego pago. Para que você acerte no alvo, tenha uma persona (cliente ideal) muito bem desenhada e entenda a jornada de compra do seu cliente. E, finalmente, faça testes e ajustes!

Quer levar o melhor tráfego pago para o seu site? Fale com um especialista da Vero Contents!

Tráfego pago: tudo o que você precisa saber
Tags:             
WhatsApp chat